Portal do Historiador

Registrando FATOS na história

Durante séculos, uma estátua da Berengária de Navarra, esposa de Ricardo, Coração de Leão, está em busca de um lugar apropriado de descanso final. Agora um projeto busca realizar esse objetivo.

Conhecida como a única rainha inglesa que nunca pôs os pés no país, a piedosa Berengária morreu em 1230.

Monges cistercienses a homenagearam gravando sua figura em pedra para seu túmulo e a depositaram na Abadia de l’Épau, perto de Le Mans, local que ela tinha fundado no ano anterior.

Na obra Berengária foi retratada deitada em paz, usando uma coroa e segurando um livro de orações, nenhum dos quais impressionou os revolucionários franceses, que séculos depois transformaram a abadia em uma lavanderia e uma fazenda e colocaram o túmulo da rainha em um celeiro.

Em 1817, o túmulo foi redescoberto sob uma pilha de palha e feno. Um dos braços de Berengaria estava faltando, assim como seu nariz aquilino. Na ausência de uma ideia melhor, o túmulo foi colocado na catedral de Le Mans. Uma cópia da efígie mantida na abadia foi destruída pelo exército alemão ocupante em 1944.

Dezesseis anos depois, a autarquia local comprou a abadia, então em ruínas. Durante sua reforma, foi encontrado o esqueleto de uma mulher, que alguns acreditam ser Berengária – sugestão contestada por outros – e o túmulo e a efígie devolvidos a L’Épau.

Desde então, o túmulo da esposa de Ricardo está depositado na Sala Capitular da Abadia de L’Épau que é coberta, mas ao mesmo tempo é aberta a todos os climas o que faz com que o túmulo lentamente se desintegre.

Um apelo público por doações foi feito em 2020 para acabar com a “maldição” dos restos mortais de Berengária de Navarra com o intuito de realocar o seu túmulo para um local mais apropriado dentro da abadia. Oficiais do patrimônio francês concordaram em uma renovação de 142.000 euros da efígie de pedra e do túmulo, 42.000 euros dos quais eles esperam arrecadar do público.

“O objetivo é restaurar a estátua, bem como os painéis [esculpidos] para devolvê-la a um túmulo medieval”, disse Bertrand Sechet ao Le Figaro. “O retorno da efígie ao seu lugar original marcará um novo período na longa história da abadia.”

Com informações de The Guardian

Imagem: Efígie tumular de Berengária de Navarra na Abadia de L’Épau, França.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.