Portal do Historiador

Registrando FATOS na história

Entender o contexto social, cultural e econômico romano é muito importante e nos ajuda a compreender o mundo moderno, pois muitas estruturas que conhecemos na atualidade tiveram início em Roma de séculos passados. Pensando nisso, neste artigo, pretendemos evidenciar por meio de uma pequena análise histórica, como se deu o processo de formação do Império romano.

Mapa 01 – Península Itálica

Fonte: Site Só História. Disponível em <www.sohistoria.com.br/ef2/roma/>, acesso em 25 de fev. 2021.

A cidade de Roma fica localizada na península Itálica – uma longa faixa de terra, conhecida por seu formato parecido com uma bota – banhada pelos mares Adriático, Tirreno e Jônico (mapa 01). No século X a.C., o lugar era habitado por povos distintos, de origens diversas e identidades étnicas amplas como os etruscos, umbros, latinos, campanos, samnitas, messápios, lucanos, entre outros (Guarinelo, 2014). Os gregos estabeleceram colônias de ocupação no sul da península após o século VIII a.C., formando a Magna Grécia, tendo Nápoles como a cidade grega mais setentrional.

Mapa 02 – Etrúria

Fonte: Site Wikipédia – Etrúria. Disponível em <pt.wikipedia.org/wiki/Etr%C3%BAria>, acesso em 25 de fev. 2021.

Uma região importante da Itália foi a Etrúria localizada no centro-oeste, conforme podemos ver no mapa 02, nessa região haviam cidades dominadas por uma aristocracia guerreira, organizada em famílias fechadas. O artesanato etrusco começou a aparecer em todo o Mediterrâneo ocidental por volta do século VI a.C., indo até mesmo ao centro da Europa (Guarinelo, 2014).

“[…] Roma foi, por certo tempo, uma cidade etrusca até a queda dos reis. A influência etrusca pode ser sentida até o sul da Campânia, em Pompeia, mas parece ter declinado no século V a.C.” (Guarinelo, 2014 – p. 114)

Roma e o Lácio se fecharam aos poucos por volta do século V a.C., Norberto Guarinelo (2014) diz que primeiro foi como cidades e cidadanias distintas, depois como uma ampla aliança que compartilhava deveres e direitos, como o matrimônio e o comércio, e, por fim, Roma passou a dominar Lácio. Tal hegemonia consolidou uma sólida aliança e progressiva extensão dos direitos de cidadania, tornando Roma bem mais forte.

Ameaças externas, como a dos gauleses e celtas fizeram com que se estendesse o poder romano sobre a Campânia e a Etrúria, que necessitavam de apoio externo para se protegerem.

Economia da Roma Antiga - Grupo Escolar
Fonte: Site Grupo Escola

Na região a economia era baseada na agricultura e nas atividades pastoris. A sociedade, nesta época, era formada por patrícios – nobres proprietários de terras – e plebeus – comerciantes, artesãos e pequenos proprietários, tendo a monarquia como sistema político. A aristocracia patrícia negava direitos religiosos, matrimoniais e políticos aos plebeus, isso fez com que houvesse inúmeros conflitos, principalmente por parte da plebe que sempre estava em busca da conquistas de direitos civis.

Com a grande Batalha de Sepino em 270 a.C., disputada contra etruscos, celtas e samnitas, Roma e seus aliados saíram vencedores e dominaram toda a península, com exceção do Vale do rio Pó. Cabe destacar que o domínio romano na península era uma exploração sistemática das cidades e do povo que estavam sob seu jugo. Muitos receberam a cidadania Romana, a maioria tornou-se aliada.

Jane Burbank e Frederick Cooper (2019) definem Império como “grandes unidades políticas, expansionistas ou com uma memória de poder estendida sobre o espaço; regimes que mantêm distinções e hierarquias ao incorporarem outros povos. […]”, nesse sentido, um Império vai além da busca por unidade nacional, seu real interesse é o expansionismo e a incorporação de outros povos sob o seu domínio, podendo haver, dentro do próprio império, categorizações como “nós” e “outros”, isso foi acontecendo com Roma desde o seu início, as pólis foram sendo dominadas e incorporadas até a formação de seu vasto Império.

Referências:

Antiguidade Clássica – Roma em Só História. Virtuous Tecnologia da Informação, 2009-2021. Consultado em 25/02/2021. Disponível em <http://www.sohistoria.com.br/ef2/roma/>

BURBANK, Jane.; COOPER, Frederick. Impérios: uma nova visão da história universal. São Paulo: Planeta, 2019

Guarinello, Norberto Luiz. História Antiga. 1ª ed. 4ª reimpressão. – São Paulo: Contexto, 2019.

Deixe comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Os campos necessários são marcados com *.