Portal do Historiador

Registrando FATOS na história

Olá! Neste texto iremos falar sobre o pugilato, o boxe antigo.

Nos Jogos Olímpicos Antigos o Boxe (Pugilato) fazia parte das competições. Ele é retratado pela primeira vez em um afresco da civilização minoica de 1.500 a.C.

Boxeadores minóicos em afresco de 1.500 a.C em Akrotiri

Na literatura, vemos pela primeira vez uma menção ao pugilato na Ilíada, quando Aquiles promove jogos fúnebres em honra á Patrôclo. Vejamos:

“[Aquiles] Em seguida colocou os prêmios do doloroso pugilato (…) Primeiro colocou o cinturão e depois deu-lhe tiras de couro bem cortadas, feitas a partir de um boi campestre. Após terem se cingido, ambos avançaram para o meio da assembleia e após erguerem as mãos, embateram ambos e enrolaram-se um com o outro com murros pesados. Terrível era o estalido dos maxilares e o suor escorria-lhes por toda parte do corpo (…) e bem direcionado o esmurrou no queixo. Não por mais tempo se manteve de pé (…)” – A Ilíada, Canto XXIII, versos 653, 683-690

O pugilato utilizava as mãos em seus combates, porém não se usava os nós das mãos como em artes marciais orientais, mas sim a região do “martelo” da mão, além dos cotovelos!

Popular

O pugilato sempre foi muito popular entre a população romana, que corria para as arenas para assistirem as lutas entre os pugilistas, que além de usarem tiras de couro envolvendo as mãos (“sphairai”), costumavam utilizar-se do “cestus”, um ancestral das soqueiras que temos hoje!

Término

O pugilato caiu em desuso a partir do reinado de Honório (reinou de 395 à 423) que proibiu as lutas nas arenas, embora a luta com as mãos tenha continuado na Europa e na região Mediterrânica, embora de maneira mais modesta do que outrora.