Portal do Historiador

Registrando FATOS na história
Busto de Júlio César datado de 44 a.C. no Museo di Antichità di Torino. Busto de mármore de Nero Cláudio Druso, é provável uma réplica feita durante os reinados de Tibério ou Cláudio de um original da época de Augusto, em exposição nos Museus Capitolinos em Roma. Busto de Marco Vipsânio Agripa, datado de 25. a.C. no Museu do Louvre.

Desde os primórdios de sua história Roma se estabeleceu como nação fazendo uso agressivo de seu poderio militar. Além de ser uma ferramenta de expansão territorial o exército romano também representou a glória, a força e os ideais propagados por Roma.

Sendo assim, a historia do Império Romano e de seu exército se confundem ao ponto da existência de um depender quase inteiramente do outro e os homens foram peças fundamentais nesse processo, uma vez que compunham totalmente as fileiras do exército.

A sociedade romana era profundamente conservadora em alguns pontos e o papel do homem era muito mais importante do que o da mulher.

Os homens tinham autoridade absoluta sobre a família e a vida pública da Roma Antiga era em grande parte reservada aos homens. No entanto, o papel social a ser exercido por um homem dependia muito de sua posição social.

Homens das classes mais baixas trabalhavam em suas terras ou cuidavam de um pequeno negócio na forma de lojas. Por sua vez, os homens mais abastados se dedicavam a atividades intelectuais, políticas e militares.

Na matéria de hoje vamos no ater a última atividade e conhecer cinco homens que ajudaram a construir a glória militar de Roma.

1 – Cipião Africano (236–183 a.C.)

Cipião Africano nasceu em uma das cinco principais famílias patrícias de Roma em 236 a.C. Seu pai e seu tio foram mortos na Segunda Guerra Púnica. Aos 25 anos, ele seguiu seu pai e tio para o serviço militar, garantindo uma posição de comando no exército. Cipião provou ser um dos estrategistas de guerra mais astutos da Roma Antiga e venceu a guerra contra Aníbal em 202 a.C.

Em 218 a.C., ele participou de uma batalha durante a qual seu pai foi capturado. Em 209 a.C. ele formou uma defesa impenetrável e conseguiu tomar a base espanhola de Aníbal. Durante a Batalha de Baecula em 208 a.C., ele conseguiu derrotar o irmão de Aníbal e, finalmente, durante a Batalha de Zama no norte da África, derrotou completamente as forças de militar cartaginês.

A derrota forçou Aníbal a assinar um tratado de paz que encerrou a Primeira Guerra Púnica.

2 – Lúcio Cornélio Sula (138–78 a.C.)

Sula nasceu em 138 a.C. em Puteoli, perto de Nápoles. Sua família não era influente ou rica. Apesar disso, Sila era bem educado e fluente em grego (um sinal de boa educação em Roma). De alguma forma, ele conseguiu subir na elite da sociedade militar e política.

Em 112 a.C., durante a Guerra Jugurtina, Sula esteve envolvido na derrota do Rei Jugurta da Numídia. Após uma longa e prolongada guerra, ele foi enviado para eliminar o apoio a Jugurta na província vizinha da Mauritânia. Hábil negociador, Sila conseguiu capturar Jugurta e pôr fim à guerra trazendo glória para Roma.

3 – Cneu Pompeu Magno (106–48 a.C.)

Cneu Pompeu Magno ou mais comumente Pompeu Magno, nasceu em uma rica família senatorial italiana. Seu pai era um nobre romano com quem aprendeu estratégias militares e diplomacia política. Seu pai morreu em 87 a.C., quando Pompeu tinha apenas 19 anos.

Pompeu Magno foi comandante da República Romana durante suas últimas décadas caóticas. Seu nome Magnus significa “grande”, e ele recebeu esse título do povo porque era um líder inspirador. Ele era um comandante na guerra civil de Sula em 83 a.C., derrotando Caio Mário para sempre e libertando Roma. Sua participação nessa vitória lhe rendeu a reputação de grande general, mas também o apelido de “açougueiro” por seus inimigos.

4 – Caio Júlio César (100–44 a.C.)

Júlio César começou sua carreira militar em 81 a.C com o Cerco de Mitilene. Ele logo se destacou nas forças armadas e aos 31 anos se envolveu na política romana. Foi Júlio César quem invadiu a Grã-Bretanha duas vezes ajudando a estabelecer o controle romano na região. No Egito, ele instalou Cleópatra VIII no trono depois de derrotar o Faraó Ptolomeu XIII durante a Batalha do Nilo em 47 a.C.

Porém, uma de suas realizações mais famosas como comandante militar foi a conquista da Gália. Embora as tribos gaulesas tivessem um exército forte, César aproveitou suas divisões internas. Isso permitiu que Roma assegurasse o rio Reno como fronteira.

César iniciou a Grande Guerra Civil Romana em 49 a.C. contra um velho rival, Pompeu Magno, forçando-o a fugir para a Macedônia em apenas 70 dias de conflito. Diz-se que César venceu a Batalha de Farsalo contra as probabilidades, pois estava em grande desvantagem numérica.

5 – Marco Vipsânio Agripa (63–12 a.C.)

Marco Vipsânio Agripa foi o principal comandante militar de Otaviano, depois Imperador Augusto, e o ajudou a garantir o poder após a morte de Júlio César. Ele construiu o porto de Portus Julius quando estava no comando da frota romana, unindo os lagos Avernus e Lucrinus Lacus, e isso desempenhou um papel estratégico na derrota da frota de Sexto Pompeu.

Isso também lhe permitiu garantir duas vitórias na Baía de Nápoles.

Quando Otaviano se tornou imperador como Augusto, ele trabalhou em estreita colaboração com Agripa para criar estradas e edifícios, e promoveu atividades culturais organizando festivais. Agripa também foi responsável por reformar e renovar os aquedutos e vias navegáveis ​​interiores de Roma, e ampliou o aqueduto Aqua Marcia que levava água para muitas outras partes da província.

6 – Nero Cláudio Druso (38–9 a.C.)

Nero Cláudio Druso nasceu em 38 a.C. e era filho de Lívia Drusa e seu primeiro marido Tibério Cláudio Nero. Druso nasceu apenas três meses depois de Lívia ter se casado com o Imperador Augusto . No entanto, alguns historiadores divergem e afirmam que Lívia teria dado à luz ao seu filho caçula antes de seu segundo casamento.

De qualquer maneira, Druso se tornou enteado de Augusto e teria um papel de destaque na vida pública romana de então. Aos 11 anos, ele se tornou magistrado e lutou ao lado de seu irmão mais velho, Tibério Cláudio, contra as tribos alpinas, os Raeti e os Vindelici.

Druso também liderou uma expedição à Germânia (atual Alemanha) para estabelecer campos de base e foi o primeiro comandante romano a liderar uma campanha no rio Reno. Druso expandiu sua campanha até os rios Weser e Elba e subjugou as tribos Marcomanni e Cherusci apenas um ano depois.

Fontes:

ADHIKARI, Saugat. Top 12 Greatest Generals in Ancient Rome. Disponível em: < https://www.ancienthistorylists.com/rome-history/greatest-generals-ancient-rome/ >. Acesso em 14 de Jul. 2022.

Men of Ancient Rome. Disponível em: < https://www.legendsandchronicles.com/ancient-civilizations/ancient-rome/men-of-ancient-rome/ >. Acesso em 14 de Jul. 2022.